Veja como economizar até 50% de combustível com a troca de marchas.

Motores modernos permitem rodar com marchas maiores em velocidades menores Dirigir a 50 km/h em quinta marcha parece improvável? Saiba que usar marchas maiores em velocidades menores pode...

1960 0
1960 0

Motores modernos permitem rodar com marchas maiores em velocidades menores

Dirigir a 50 km/h em quinta marcha parece improvável? Saiba que usar marchas maiores em velocidades menores pode reduzir pela metade o consumo de combustível do seu carro. “Os motores mais modernos são calibrados para trabalharem em rotações cada vez menores, ao contrário do que acontecia nos modelos antigos, por isso, ainda carregamos alguns vícios como esticar muito as marchas para melhorar o desempenho”, explica o assessor técnico da Fiat Chrysler, Ricardo Dilser.

O manual do proprietário indica a melhor hora para fazer as trocas, de acordo com cada fabricante. Mas, segundo o especialista, em motores modernos a recomendação é, em geral, a seguinte: a 10 km/h, primeira marcha. Chegou aos 20 km/h, muda para a segunda. Nos 30 km/h, ande em terceira e assim por diante. Ou seja, é possível rodar a 60 km/h em sexta marcha, para os carros que têm essa opção. “Eles funcionam muito bem em baixas velocidades e foram desenvolvidos para isso”, afirma Dilser. “Como os motores estão mais fortes, não é um problema usar baixos giros não vai morrer”.

Forma como você dirigir pode reduzir pela metade o consumo do combustível do carro (Foto: Divulgação/ Hyundai)
Carros com câmbios manuais costumam ser mais gastões por causa do tempo em que são feitas as trocas. Na transmissão automática, mudanças são feitas priorizando o menor consumo (Foto: Divulgação/ Hyundai)

Para tirar a prova, o especialista propõe um teste: andar com o carro a 40 km/h em segunda marcha e depois, mantendo a mesma velocidade, subir para a quarta marcha, direto. “Se tiver computador de bordo e que indique o consumo instantâneo será possível comprovar a redução imediatamente”, afirma Ricardo Dilser. “Em testes feitos dentro da fábrica observamos uma redução significativa. Vai de 5 km/l para 10 km/l, por exemplo, pulando as marchas”.

Trocas as marchas XXXX (Foto: Divulgação/ FCA)
Trocar as marchas na hora certa pode reduzir pela metade o consumo do seu carro. Faça o teste fazendo as torcas entre 1.500 rpm e 2.500 rpm. Em câmbios automáticos a dica é alivar o pé.  (Foto: Divulgação/ FCA)

A maioria dos modelos novos trazem um indicador de troca de velocidade para auxiliar o motorista sobre o melhor momento para fazer as mudanças. Mas caso seu carro não tenha, é possível usar como referência o conta-giros. “A faixa de rotação ideal é entre 1.500 rpm e 2.500 rpm”, diz o especialista. “Tanto que esse é o intervalo de giro que trabalham normalmente os câmbios automáticos e eles não param de ganhar marchas”.

Câmbios automáticos já têm até 10 marchas (Foto: Divulgação/ FCA)
Câmbios automáticos já têm até 10 marchas. A picape Toro, por exemplo, têm 9 marchas (Foto: Divulgação/ FCA)

Hoje, carros populares têm a opção de transmissão automática de até seis velocidades. Marcas como a Volkswagen, Ford, Chevrolet, Honda e Toyota já têm variantes de até 10 velocidades. O objetivo é um só: reduzir o consumo e aproveitar melhor o torque. “Nos câmbios automáticos o ideal é sempre aliviar o pé do acelerador, porque ele faz a escolha de qual marcha ideal para cada situação, como subida e descida, por exemplo”, explica Dilser. “Mas se você enfiar o pé no acelerador, ele vai entender que você precisa de mais força e vai passar a trabalhar em rotações mais altas, elevando o consumo. Se não for nenhuma situação crítica como uma ultrapassagem, vá com calma que ele fará o melhor para o seu bolso”.

In this article

Join the Conversation